Siga nossas redes sociais

E-COMMERCE A TODO VAPOR EM 2015

05 fev

Mesmo sendo um ano desafiador para o varejo, 2015 promete ser especial para comércio eletrônico, que apresenta sinais claros de que será um dos poucos segmentos em expansão no cenário nacional.

Cada vez mais os brasileiros se interessam por compras feitas pela internet, pois perceberam que a ação é hoje mais fácil, rápida e segura, sem falar que é muitas vezes até mais econômica que as lojas convencionais. E graças às funções mobile, é possível adquirir produtos mesmo estando em casa, no escritório, na praia; basta um computador, tablet ou celular estar conectado à internet para encontrar o e-commerce de seu interesse. Com os consumidores descobrindo coisas para comprar e compartilhando imagens do que eles gostam, uma grande oportunidade é oferecida aos varejistas, pois eles podem proporcionar uma experiência de compra mais divertida e envolvente.

A E-bit, empresa especializada em informações do setor, projetou que o faturamento do comércio eletrônico no país registrará um salto nominal de 20% neste ano, atingindo R$ 43 bilhões. Em 2014, o crescimento foi de 24%, e em 2013, de 28%

As categoriais que mais venderam foram, respectivamente, as de moda e acessórios, cosméticos e perfumaria, eletrodomésticos, seguidos de livros e revistas, e telefonia/celular. Outro dado interessante refere-se ao valor do ticket médio das compras, que girou em torno de R$ 333,40.

Segundo projeções do T-Index 2015, disponíveis no site Computer World, em 2015 o Brasil deverá ocupar a 4° posição no ranking de mercado mundial de e-commerce. Atualmente, a participação do país no cenário global é de 3%, mas espera-se que no próximo ano ele vá para 4,3%. Hoje, aparece atrás de Estados Unidos, que lideram as vendas do comércio eletrônico no mundo, seguidos de China, Japão, Alemanha, Reino Unido e França.

O crescimento do comércio além das fronteiras parece destinado a acelerar em 2015, proporcionando aos consumidores a chance de realizar compras com varejistas de qualquer lugar do mundo. Isso abre caminho para que os comerciantes tenham acesso aos mercados em outros países e expandam seu alcance internacional. Para os varejistas, a entrada em novos mercados através de uma plataforma global oferece a oportunidade de crescimento significativo, particularmente para os pequenos negócios onde há menos potencial para crescer internamente.

Fontes:

Ciashop: www.ciashop.com.br

Uol Economia: http://economia.uol.com.br

Época Negócios: http://epocanegocios.globo.com

E-commerce Brasil: http://www.ecommercebrasil.com.br/

Voltar

Compartilhe: